Pesquisar este blog

Tradutor

domingo, 29 de junho de 2014

Sonhei com teu olhar

Hoje, teu aniversário
Queria dar um presente
Era pra mim: um poema

Não um poeminha
O mais lindo poema
Que alguém já escreveu!

Um poema que descrevesse
Teu olhar
 Recorro a velhos cadernos
As canções que são nossas (Mas só eu sei)...
Procuro por respostas
Mas elas, não estão em livros
Nem em discos!

Talvez estejam nos teus olhos
Mas você evita me olhar
Diante do teu olhar, tudo
Se me ilumina.
Escrevo versos
Que enobrece qualquer poema
Distante do teu olhar, pareço
A lenda dos três macaquinhos

Sentado à frente do computador
Permaneço, por horas e horas
Mas não sei que horas são
Porque em vão, de olhos fechados
Busco é um poema

Mas, se ele surgir, é porque
Eu adormeci e sonhei
Sonhei com teu olhar


Por: Dom Cordeiro

domingo, 22 de junho de 2014

Rouxinol


É mais um dia que finda...
Ouço ao longe o canto dos pássaros ao anoitecer
Será mais uma noite que o sono não virá
Me restará apenas a saudade...


Olhando da minha janela sinto o vento da solidão gelando minha alma...
Volto a lembrar do amor que foi embora no vendaval
Fico aqui me perguntando por que teve que ser assim?
O silencio da noite ecoa sobre as luzes da cidade fria
As lagrimas que percorrem meu rosto são como uma navalha rasgando meu peito...


Mesmo após horas mergulhadas nesse pranto que não cessa
Começo a ouvir no rádio uma bela música
E navegando em seus acordes
Em sua melodia encantadora
 Me faz lembrar mais e mais de como fomos felizes...


Vou aqui viajando em meus pensamentos insanos ouvindo esse som...
Som que me faz refletir se há uma razão para seguir em frente como a bela letra diz
Por um instante consigo ouvir o canto do pássaro descrito na canção
E por mais que tente não consigo conter as lagrimas
Pois o tempo passou, mas a saudade permanece...


Ainda sonho com sua volta todas as noites...
Em meio a minha angustia, vejo os primeiros raios de sol surgirem
Começo a me preparar para encarar o que ainda resta de mim...

A canção chega a seu final...
A melodia que embalou meus sonhos vai sumindo lentamente com o canto dos pássaros
Por um instante penso: Serei capaz de não mais temer seu canto?
Não sei até quando a tristeza será minha companhia, mas ainda espero o dia que não mais chorarei ao ouvir a bela harmonia do canto do Rouxinol...
  

Inspirada por: Rouxinol (Milton Nascimento)




domingo, 15 de junho de 2014

Como tudo entre nós

Foto: Wagner Pereira

A noite caiu e estou só,
Bebo o vinho tinto, 
já se foi meia garrafa,
A TV é minha companhia silenciosa
A garoa fina da Metrópole é uma sinfonia aos meus ouvidos,
  
A solidão conversa comigo,
Apenas reflito...  
Não chego a conclusão alguma,
Busco olhar as fotos que enviou,

Tomo mais um gole de vinho,

A mente atormenta
“porque desistiu tão fácil?”
Nunca saberei a resposta
Não sabia sequer dessa sua pergunta...
  
A noite é cruel,
Agora deve estar nos braços que não os meus
Em seu mundo, sua vida, com suas escolhas
Talvez possamos estar juntos em breve...
Será único como tudo entre nós...

 Outro gole,

Busco anestesiar a mente
Meu coração já não me pertence mais...
Aguardo seu chamado...
A noite silenciosa penetra na alma

Outro gole,

Seu rosto surge,
Vejo cada detalhe de ti,
O gosto do seu beijo arde em minha boca
Queria que estivesse aqui...

A noite se torna minha única companheira,
Me cobra atenção,
Não é o vinho que me entorpece,
Mas sim a saudade de ti

Mais um gole,

Não quero para de te escrever,
A noite me quer só para ela...
Sinto você por perto,
Me erradio de felicidade,

Busco você na escuridão,
É a noite me seduzindo
Me enganando
Me confundindo,

 A garrafa se esvazia,

Sinto seu perfume,
Na verdade era o cheiro das flores
Do jardim que nunca existiu
Não importa, serás sempre 
A mais bela te todas as flores que já existiu




domingo, 8 de junho de 2014

Poema Cheio de Saudade

Foto: Wagner Pereira
  

Você sabe lá o que é saudade
Se soubesse me mandaria mensagem
Ou ligaria.
Ou... Não!

Faria melhor:
Mandaria me buscar
Ou, viria ao meu encontro
No meu "CAFOFO" E, sem se importar com o cheiro

De mofo dos móveis surrados
Deitaria a cabeça em meu colo
E enquanto eu sentia
O cheiro gostoso do seu cabelo
Que eu gosto tanto

Contaria que sentiu minha falta
Falaria das suas viagens solitárias
De solidão, da ingratidão do mundo
Com os amantes, que, sem mais
Sem menos, sem porque
Por nada!

Manda pra lugares distantes
E distintos, pessoas apaixonadas
Que nenhum e-mail, telefonema
Ou vídeo-mensagem, irá matar
A saudade Amanhã, quando eu acordar
Irei escrever isto em forma de poema
 E te mandar por mensagem Quem sabe, um poema assim
Acenda e ascenda em seu coração A saudade



Por: Dom Cordeiro

domingo, 1 de junho de 2014

Eu só sei uma coisa


Foto: Wagner Pereira



Todos tem Amor
Mas, Amor não posso ter
Com tantas pessoas no Mundo
Eu escolhi logo você



Adoro seu cabelo
Muitas coisas quero dizer
Mas não consigo parar
De pensar em você



Você pode dizer
Que amo outra pessoa
As vezes acho que não
Sou gente boa



Você me faz perguntas
Que não posso responder
Eu só sei uma coisa
Eu Amo você




Por: Dinho
(Valdir Pereira)